É possível realizar funerais, com medidas de segurança

A realização de funerais está condicionada à adoção de medidas organizacionais que garantam a inexistência de aglomerados de pessoas e o controlo das distâncias de segurança, designadamente a fixação de um limite máximo de presenças, a determinar pela autarquia local que exerça os poderes de gestão do respetivo cemitério.

Fonte: Governo de Portugal

 

O decorrer do funeral varia consoante a agência

A título de exemplo, a Agência Funerária Servilusa constata no seu website que:

  • Se a causa de morte não for Covid-19 é possível efetuar velório breve no dia do funeral, desde que se tenham cumprido 24h após falecimento. A cerimónia não deve ultrapassar as 2h.
  • O número máximo de participantes na cerimónia depende das limitações de cada capela, não devendo ultrapassar as 10 pessoas.
  • Deverão sempre ser respeitadas as regras de higiene, etiqueta respitarória, contingência social e as indicações da Direção Geral de Saúde. Sendo de especial relevância a obrigatoriedade de utilização de máscara.
  • Se a causa de morte for Covid-19 não haverá lugar a velório, o serviço funerário será direto ao local de cremação ou sepultura.

Recomendamos que se informe com a agência funerária onde pretende realizar a cerimónia fúnebre, tendo em conta que o número de pessoas presentes na mesma poderá ser limitado, assim como as condições da cerimónia poderão variar de agência para agência e/ou de capela para capela.

Fonte: Agência Funerária Servilusa

Atualizado a 30.04.2020